- Ano IV - nº 7(35) - Junho de 2010.                                                               Direção: Osiris Costeira

FITOTERAPIA - Iára Vieira. - iarasovieira@gmail.com

ERVAS FEMININAS - 2ª Parte

Dando continuidade ao artigo anterior sobre plantas femininas, lembraríamos que a utilização e a dose terapêutica devem ser individualizadas, pois “cada caso é um caso”.  As doenças têm descrição clínica comum, mas a forma como a pessoa adoece e convive essa experiência a doença é única.  Portanto, a indicação de qual erva se adéqua melhor à paciente e à doença é fundamental para o processo de regeneração e cura.

 

Estou apenas enfatizando o uso ginecológico destas plantas; contudo, elas também possuem outras aplicações e indicações terapêuticas. Os banhos e chás de ervas não substituem as consultas periódicas ao ginecologista e a utilização das ervas, para melhor atuação, deve ser feita após resultados de exames preventivos.  Como exemplo, citamos as leucorréias (corrimentos) que têm várias causas, como inflamação, irritação, feridas em colo de útero, doenças sexualmente transmissíveis; assim sendo, para cada causa  uma determinada planta com melhor indicação.

 

As ervas devem ser evitadas nos três primeiros meses de gestação, na lactação e tem ervas que devem ser evitadas durante toda a gestação.

 

Erva de Bugre (também conhecida como Guaçatonga)

Indicação: diurético, emagrecedor, diminuir inchaço (edema) das pernas, auxiliar nos problemas de ovários, estimulante da circulação sanguínea, depurativa (promove a limpeza no organismo),

Dose: chá das cascas do caule tem efeito anti-inflamatório; usado nas duchinhas vaginais, previne inflamações de colo de útero e irritações vaginais; o sumo das folhas é emagrecedor; utilizado no tratamento de herpes, e da sífilis.

Contra indicação: gravidez e aleitamento.

Efeitos colaterais: sensibilidade aos componentes da planta.

 

Tansagem

Indicação: limpeza das vias respiratórias (para fumantes); é usada em forma de chá como antibiótica, bactericida e anti-inflamatória para infecções nas partes íntimas, em lavagens vaginais e banhos de assento; usada em compressas em dores nos bicos dos seios.

Dose: compressas, banhos e chás, 3 xícaras por dia; também pode ser utilizada sob a forma de tintura.

Contra indicação: a raiz, em excesso, é tóxica.

 

Cordão de Frade

Indicação: usado em casos de retenção de urina, eficaz contra hemorragias uterinas, chás e banhos para acalmar os sintomas da TPM, para as dores reumáticas; é bactericida, sendo recomendado o uso, sob a forma de chá, para lavagens vaginais e banhos de assento.

Dose: banhos, chás – 2 xícaras por dia.

Contra indicação: em pacientes com doenças crônicas do fígado.

Efeitos Colaterais: nos tratamentos prolongados pode causar problemas hemorrágicos devido às cumarinas.

 

Carobinha

Indicação: em forma de infusão, como diurética, especialmente utilizada no tratamento das afecções urinárias e cutâneas, depurativa, além de externamente ser empregada como cicatrizante; recomendada para banhos de assento, duchas vaginais. Pode ser utilizado em compressas, e em tinturas.

Dose: infusão das folhas, de 1 a 4 xícaras/dia, dependendo do problema

 

Cavalinha

Indicação: a raiz é diurética, remineralizante, responsável pela redução da flacidez da pele e músculos, principalmente após regimes de emagrecimento; a planta toda é indicada para menstruações excessivas, para tratamento de problemas genitais e urinários, acne, eczemas e feridas.    Compressas, banhos de assento e duchinhas vaginais.

Dose: infuso, 3 xícaras por dia.

Contra indicação: não usar as extremidades floridas.

Efeitos colaterais: não é recomendado o uso por longos períodos.

 

Malva Rosa

Indicação: acalma os sintomas da TPM e dores no corpo, inflamações da bexiga, da vagina, dos rins, da pele, nas inchações (edemas) das pernas, desinfetante posto sobre feridas e úlceras; faz emagrecer sem prejuízos ao coração.

Dose: compressas, infusão das folhas e tintura.

Contra indicação: não deve ser utilizada por pessoas portadoras de diarréia crônica.

Efeitos colaterais: na dosagem recomendada não produz efeitos colaterais.

 

Casca de caju

Indicação: é bactericida, indicada nas afecções de útero e irritações vaginais, depurativa, anti-inflamatória, anti-hemorrágica, indicada para menstruação excessiva, duchinhas vaginais e banhos de assentos.

Dose: compressas, infusão das folhas e tintura.

Efeitos colaterais: a castanha em estado fresco pode causar lesões, pois é cáustica.

 

Aroeira

Indicação: é diurética e emenagoga (provoca a menstruação), é adstringente, indicada para doenças das vias urinárias, anti-inflamatória, antileucorréica.

Dose: chás e uso interno só com acompanhamento terapêutico; banhos de assento e duchinhas vaginais; pode ser utilizada como unguento.

Contra indicação: gravidez e  lactação,

Efeitos colaterais: a planta (folha e casca) pode causar manifestações alérgicas na pele, e a ingestão de frutos pode causar vômitos e diarréia.

 

No próximo número falarei sobre o Aperta ruão, o Barbatimão, a Sálvia, a Artemísia, a Calêndula, e o Litotânio.

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".