- Ano V - nº 2(42) - Janeiro de 2011.                                                                Direção: Osiris Costeira

ENEAGRAMA - Therezinha Menescal - terezamh@gmail.com

O DESENVOLVIMENTO DO EGO

 

Para estar no mundo o Ser necessita do instrumento físico que é o corpo e de uma manifestação individual expressa pelo ego.  Precisamos, então, construí-lo e o fazemos a partir das interpretações que damos às primeiras impressões que o mundo nos causa.

O processo de estruturação do ego ocorre, então, em três etapas a partir do nascimento, começando pela perda do contato com nossa verdadeira natureza o que gera o adormecimento ou esquecimento do Ser no ponto 9 do Eneagrama quando o bebê, que tinha suas sensações, emoções e estados essenciais integrados, começa a perceber seu próprio corpo, seus limites e a existência de outros além dele.

O reconhecimento do seu corpo e de um mundo fora dele leva à formação da primeira característica do ego humano que é a SEPARATIVIDADE, eu e os outros, o não estar mais integrado no Todo.

A segunda fase ocorre no ponto 6 do Eneagrama quando o bebê, não tendo suas necessidades de alimentação, carinho, proteção atendidas imediatamente, sente-se inseguro, com medo que o ambiente não seja capaz de prover suas necessidades e apoiá-lo. Não se sentindo acolhido, manifesta-se a segunda característica do ego humano, a REATIVIDADE, a capacidade de criar estratégias de ataque e defesa que vem do medo de não sobreviver.

Uma outra fase acontece no ponto 3 do Eneagrama quando o bebê, com medo de não sobreviver, (ponto 6) com medo de estar separado do Todo, (ponto 9) sente o vazio causado por estes medos, não se sentindo reconhecido e, não percebendo seu valor essencial, busca tapar estes buracos com valores externos perseguindo auto-imagens que o consolem para encobrir a vergonha de não ser percebido  ou a vergonha de achar que não tem valor.

Dá-se aí a terceira característica do ego que é a ILUSÃO, a MENTIRA de viver baseado em algo que ele não é, ou seja, uma aparência, uma máscara, porque seu ser real, sua verdadeira natureza, seu valor real, sua real fonte de proteção e segurança, sua integridade foram esquecidos no processo de adaptação ao mundo material onde agora precisa atuar.

Todos nós passamos por todas estas fases e, dependendo de como tenham sido realmente vividas as experiências, ou de como as tenhamos interpretado, pois é a maneira como as sentimos que vai ficar  registrada em nossa memória e não que elas tenham sido realmente traumáticas,  é que vamos nos fixar em um dos grupos que tenha como ponto nuclear, por exemplo, o ponto 9 constituindo o grupo físico composto com os tipos 8,9 e 1, o ponto 6 constituindo o grupo mental formado pelos tipos 5,6 e 7,  ou o ponto 3 constituindo o grupo emocional formando com os tipos 2,3 e 4.

Vimos que os três grupos originam-se no processo de estruturação do ego. O primeiro grupo marcado pela sensação de estar separado, (sensação = uma percepção física), o segundo marcado pelo medo imaginário de não conseguir sobreviver às adversidades (medo=uma emoção básica), e o terceiro pelo sentimento de não valer, de não ser reconhecido (sentimento= uma maneira de  pensar sobre algo).

A partir daí veremos como vão se manifestar as personalidades do grupo físico marcadas pela RAIVA de sentirem-se apartadas do Todo e precisar disputar um lugar neste espaço, as do grupo mental atormentadas pelo MEDO imaginário de

não conseguir sobreviver, de não estarem amparadas, seguras dentro deste Todo, e as do grupo emocional ENVERGONHADAS por não se sentirem vistas, avalizadas , reconhecidas em seu valor essencial.

Os três tipos de um mesmo grupo (físico, mental ou emocional) terão sempre algo comum entre si:

Os tipos do grupo físico (8,9,1) terão em comum o desejo de segurança relativamente a questões de ocupação de seus espaços e a preservação de sua autonomia. Preocupados com isto eles são movidos pela força de seus instintos na luta por definirem sua integração no espaço que os cerca e esta luta é marcada pela raiva em comportamentos com reações de diferentes formas de agressividade por não saberem lidar com a qualidade de sua força natural interior.

Os tipos do grupo mental (5,6,7) terão em comum o desejo de sentirem-se protegidos e a questão da busca de estratégias que os previnam contra seus medos. Atingidos pelo medo de não sobreviver e preocupados em assegurar o que parece melhor para si, para sua proteção, 5,6 e 7  agem baseados em suas ilusões,sempre elaborando estratégias mentais preventivas para fugir da insegurança,manifestando uma ansiedade permanente diante da vida por sentirem-se sem orientação interior.

Os tipos do grupo emocional (2,3,4) terão em comum o desejo de serem amados, reconhecidos e a preservação de suas vontades. Interessados em sua auto imagem e na forma como são vistos pelos outros, 2,3 e 4  são movidos por sentimentos oriundos da vergonha de se acharem sem valor,de não terem seu valor essencial evidenciado e, procurando disfarçar, negar isto para si mesmos e para o mundo,eles se caracterizam por reações de hostilidade quando contrariados em suas vontades,pois não sabem lidar com suas emoções.  

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".