- Ano XI - nº 1 (77) - Dezembro 2016/Março 2017.   Direção: Osiris Costeira
 

CAMINHOS DA MENTE - Ricardo de Lima Costeira - ricardo@wfde.com

 

CULTIVANDO O JARDIM - VISUALIZAÇÃO

 

Cultivando o Jardim

"Encontre a semente no fundo de seu coração e manifeste a flor."- Shigenori Kameoka

 

Num belo dia, você está distraído, pensando em sua vida, quando alguém coloca a mão em seu ombro e diz:

“Desculpe-me, mas sua vida está esperando. Ela está logo ali, e com ela se encontra tudo que você sempre desejou. Sua independência financeira, o emprego ou negócio dos seus sonhos, relacionamentos produtivos, benéficos e amorosos. Uma personalidade forte, segura de si e mais feliz do que jamais ousou imaginar”.

Neste momento, você diz:

“Mostre-me o caminho”.

E a pessoa concorda, mas há um preço a ser pago: você precisa deixar para trás todos os seus medos, a inveja, pensamentos de separação, ansiedade, ódio, frustrações e crenças auto-limitantes.

Você faria isso?

Você se livraria de tudo isso e caminharia em frente, na direção do que você REALMENTE quer?

Agora, se está lendo este livro e chegou até aqui, claramente é o seu guia interior que está com a mão em seu ombro e, no fundo, você sabe exatamente o que precisa fazer para ir de encontro aos seus sonhos.

Então, por que não está fazendo isso?

Comece perguntando-se como está se sentindo. Isso mesmo: como você se sente?

Só existem dois tipos de sentimento: ou você se sente bem ou você se sente mal. Não há intermediários. O mal é a ausência do bem e o bem é a ausência do mal.

Quando foi a última vez que a solução de um problema surgiu enquanto estava se sentindo paralisado por pensamentos de medo ou frustração?

Quando isso ocorre, você se mantém focado naquilo que têm medo que aconteça, não na solução para o que está lhe incomodando. Então, como espera criar a vida que deseja, enquanto constantemente alimenta seus medos?

Você já sabe como arrancar as ervas daninhas, plantar a semente, nutrir e cuidar do solo, deixando o sol iluminar e guiar seus passos enquanto seus sonhos criam raízes e florescem.

A partir de agora, falaremos sobre as atitudes que deve cultivar para materializar aquilo que deseja. São elas: visualização, foco e ação. Use estes princípios em sua vida e criará a energia necessária para a concretização de seus objetivos.

Você está pronto para usá-las?

 

Visualização

"Se você consegue imaginar, pode realizar. Se consegue sonhar, pode se tornar." - William Arthur Ward

 

Como dito anteriormente, a visualização/imaginação é a essência da sua semente mental. Ao praticar a visualização, é importante que você participe do que está imaginando percebendo essa visualização como algo real. Assim você poderá sentir as emoções e imprimir estas imagens de forma correta em seu subconsciente.

É importante ressaltar que nos exercícios de Imagem Mental, basta imaginar. A necessidade de “ver com os olhos fechados”, pode criar alguns bloqueios na imaginação. Ao invés de jogar a imagem para os olhos físicos, permita que seu pensamento fique livre, estruturando-se naturalmente em sua mente, enquanto sente cada coisa que for imaginando. Realmente, é só imaginar! A imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade.

Relembrando, seu racional se comunica com o subconsciente através de IMAGENS MENTAIS. Então, dirigir-se a ele através de palavras, é a mesma coisa que falar com outra pessoa numa língua que ela não entende.

Para tornar a mensagem inteligível é preciso usar a linguagem

dos símbolos. Não adianta dizer “faça isso” ou “não faça aquilo”. Você precisa criar uma IMAGEM MENTAL do que deseja, e manter isso focado até que esta imagem penetre no seu subconsciente. Você precisa editar o filme de sua vida, retirando as emoções negativas das partes que não quer, colocando as positivas nas partes que quer. O subconsciente irá entender e seguir o seu roteiro.

O cérebro humano possui o que é chamado de lóbulo frontal – a parte do cérebro atrás da testa, que nos dá a capacidade de IMAGINAR CRIATIVAMENTE. Isso tornou possível ao ser humano inventar complicadas ferramentas, armas e armadilhas. Segundo o escritor Ophiel, foi essa característica que permitiu aos nossos antepassados superar as dificuldades, citando como exemplo as pinturas rupestres, datadas do período da idade da pedra. No seu livro, A Arte e a Prática da Visualização Criativa (Pensamento, 1999), ele escreve: “..a visualização criativa dos nossos ancestrais da Idade da Pedra consistia no desenho de figuras nas paredes das cavernas; figuras essas que os mostram em caçadas bem sucedidas e defendendo-se com êxito de seus inimigos. Essas visualizações criativas devem ter dado certo, pois eles sobreviveram, e o fato de estarmos aqui é um resultado disso!“.

A partir da idade da pedra, o ser humano começou a criar armas e ferramentas, que o tornaram menos dependente do instinto ou do “sexto sentido” para sobreviver e se defender do perigo. Isso fez com que passasse a confiar muito mais em seu racional, relegando o sexto sentido e o instinto ao campo do sobrenatural.

Com o tempo – pela falta de uso – esses sentidos tornaram- se atrofiados, e nos dias de hoje são considerados superstição por muitas pessoas. Voltar a exercitá-los, harmonizando razão e emoção, fará você atingir coisas maravilhosas.

Chega a ser irônico que, no início, nossos antepassados não possuíam o conhecimento para compreender isso, e agora, nós tornamos as coisas tão complicadas, tentando racionalizá-las, que não conseguimos percebê-las. Cada um de nós – você, eu, todo o mundo – possui um instinto, um sexto sentido, igual ao de nossos ancestrais, que nos fala que somos mais que carne e osso. Instintivamente, acreditamos no divino, mas perdemos a habilidade de nos conectar a ele.

Uma história que ilustra o desenvolvimento do lóbulo frontal e do córtex (racional) é conhecida por todos nós como o “mito do paraíso perdido”, a história de Adão e Eva. Nesta história, Adão come a maçã – o fruto da árvore do “conhecimento do bem e do mal” – e se torna “consciente de sua nudez”. A partir daí, ele deixa de ser imortal e é condenado a sofrer eternamente, não tendo mais a habilidade de falar com DEUS.

Existem várias interpretações que envolvem o pecado e outros dogmas religiosos, mas, em essência, seu simbolismo representa a perda da inocência, da conexão do homem com o divino, que ainda encontramos no recém-nascido.

Podemos interpretar essa história de outra maneira: no momento em que o homem se torna consciente de sua individualidade, de seu corpo, ele perde o elo com o divino e a conexão com sua essência imortal. Passa a confiar em seus sentidos e fica à mercê das circunstâncias, o que gera um eterno sofrimento. Identificado com seu corpo, ele confia cada vez menos em seus instintos, inclusive o chamado sexto sentido ou intuição, e assim não ouve mais a DEUS.

Agora que você tem esse conhecimento, volte a usá-lo. Ao visualizar seu objetivo, sinta-o como realizado. Grave a IMAGEM MENTAL de sua realização e deixe-se guiar pela intuição, o sexto sentido, no caminho da sua manifestação. Acredite que realmente existe um poder maior, onipotente e onipresente, que não conhece limites e que o guiará na obtenção do que deseja.

O subconsciente é o elo com o supraconsciente. Ao estabelecer esse contato, ele atrairá à sua vida todo o necessário para a realização do que deseja. Para que isso ocorra, basta que você ACREDITE que é POSSÍVEL. Basta que volte a ouvir seu “sexto sentido”, seja qual for o nome que lhe dê. Ele nunca parou de lhe guiar: foi você quem deixou de ouvi-lo. O poder é seu: USE-O.

Dica:

Descubra que sentimento está associado ao seu desejo. Se você deseja descobrir sua vocação, e isso para você simboliza REALIZAÇÃO, então este é o sentimento que deve associar.

Construa a IMAGEM MENTAL deste símbolo. Imagine-se realizado, livre de todas as ansiedades que o atormentam. Enquanto visualiza, repita mentalmente ou sussurre: “REALIZAÇÃO”. Sinta a emoção. Acredite que esta emoção já faz parte de quem você é.

Diariamente, visualize mentalmente esta imagem e sinta-se realizado. Toda vez que sentimentos ou emoções de ansiedade ou frustação surgirem, imagine essa imagem e sinta-se realizado. Use-a como um antídoto, contra maus pensamentos. Crie imagens mentais que simbolizem tudo o que desejar, associando emoção, imagem e linguagem. Esses serão seus SÍMBOLOS DE PODER.

  

Extraído do livro

 JARDIM DE REALIZAÇÕES.

Semeando Sucessos. Colhendo Vitórias

 

 RICARDO COSTEIRA

 

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".